Vamos continuar a luta pelos direitos, pelos salários e pela dignidade PDF Imprimir e-mail
19-Jul-2004

 

  GOVERNO RECAUCHUTADO, A MESMA POLÍTICA

Ignorando a vontade da maioria do povo português, o Presidente da República impôs ao País um governo recauchutado e a mesma coligação que nos últimos dois anos levou a cabo uma das maiores ofensivas de que há memória contra os nossos direitos e contra os serviços públicos. Continua no poder a velha política de extrema-direita, contra a qual vamos continuar a luta!

 

Durão Barroso fugiu e Manuela Ferreira Leite abandonou o barco… mas a mesma política ganha agora novas raízes, reforça os poderes da extrema-direita no Governo e reveste-se de um cariz populista que tudo fará para confundir e manipular a opinião pública e os trabalhadores.

Os objectivos de Santana Lopes são os mesmos dos de Durão Barroso e exigem de todos nós redobrada firmeza na luta pelos direitos, pelos salários e pelos serviços públicos, contra uma política desumana e economicista que serve apenas os interesses dos grandes grupos económicos em detrimento dos interesses do País e dos trabalhadores.

Um mau serviço ao País

Os resultados das eleições europeias do passado dia 13 de Junho mostraram a condenação clara da maioria do povo português à política de direita prosseguida ao longo dos últimos dois anos, assente na desregulamentação da legislação laboral, na retirada de direitos aos trabalhadores, na redução dos salários e na destruição dos serviços públicos.

Ao não convocar eleições antecipadas após a vergonhosa fuga de Durão Barroso, optando antes por convidar Santana Lopes formar governo, o Presidente da República prestou um mau serviço ao País e permitiu que prossigam as ameaças à democracia e aos trabalhadores levadas a cabo pela coligação PSD/PP.

De novo a velha política

O que os trabalhadores exigem de facto não é a mudança de algumas caras ou o retoque de alguns aspectos na política do Governo, nem tão pouco a sua recauchutagem.

Com Pedro Santana Lopes e o Governo ilegítimo que agora dirige, continuamos perante a mesma e velha política que há tempo demais vem fazendo sofrer o povo português.

Continuamos perante um Governo de direita e de extrema-direita, agora mais populista e mais demagógico, que previsivelmente tentará recorrer a promessas e falsas expectativas (veja-se o exemplo folclórico lançado para a opinião pública com a localização dos ministérios) mas que pretende sobretudo continuar e intensificar os ataques aos trabalhadores e aos serviços públicos.

Vamos continuar a luta:

 Por uma actualização mínima de 50 euros para cada trabalhador.

 Por aumentos salariais efectivos

 Pela valorização e dignificação das carreiras.

 Pela reposição dos direitos de aposentação e das reduções nas comparticipações da ADSE.

 Pela concretização das matérias acordadas no âmbito da Comissão Tripartida com a Associação Nacional de Municípios e a Direcção Geral das Autarquias Locais.

 Pelos serviços públicos e contra as privatizações em curso, especialmente nos sectores da água, do saneamento e do ambiente.

 Pela dignidade, pelos direitos e pelo emprego, contra a pseudo «reforma» da Administração Pública, nomeadamente o contrato individual de trabalho e o novo sistema de avaliação de desempenho.

Lutamos por uma nova política e um novo Governo!


 
2004-07-17

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >

SEDE NACIONAL
Lisboa

Rua D. Luís I, 20 F
Tel: 210958400 | Fax: 210958469
Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
©2012 STAL, todos os direitos reservados.