Vamos Lutar contra o negócio da Água do Lixo e do Saneamento
16-Jul-2004


  PRIVATIZAÇÃO DOS SMAS DE LOURES FOI INICIADA


Ao aprovar a criação de uma empresa intermunicipal e o consequente desmantelamento dos SMAS de Loures, a Câmara Municipal deu início ao processo privatizador destes serviços, que trará seguramente graves prejuízos aos trabalhadores, à população e ao próprio município.

 

Aprovada em 14 de Julho pela maioria PS na Câmara e aproveitando o mês de férias, com a abstenção e conivência do PSD, a proposta prevê a criação de uma empresa intermunicipal com capital privado, o que levará a curto prazo à privatização dos SMAS por completo.

São assim desmentidas as afirmações do presidente da Câmara às estruturas do STAL de que não estaria para breve a definição do modelo de gestão dos SMAS, que agora avança com o negócio do ano, contra os trabalhadores e a população dos concelhos de Loures e Odivelas.

Modelo não serve

As comissões sindicais do STAL reafirmam que este modelo não serve e está esgotado. Os SMAS têm viabilidade para continuar a servir os concelhos de Loures e Odivelas, tal como ao longo de mais de meio século o têm vindo a fazer.

O STAL sempre se bateu pela viabilidade dos SMAS, considerando no entanto que para tal é necessário melhorar alguns dos sectores, com melhores gestores, porque bons trabalhadores já existem.

O Presidente da Câmara sempre nos disse que estava de acordo com tal continuação dos SMAS, até porque entendia que estes serviços funcionavam bem e ainda melhor do que a Câmara.

Negócio e «tachos»

Ao contrário do que afirma o presidente da Câmara, é possível gerir melhor os SMAS de Loures sem que para tal seja necessária a adopção de qualquer modelo empresarial e privatizador.

Aliás, o que ressalta na opção agora tomada não é mais do que um autêntico negócio e uma cedência clara aos interesses privados em sectores tão essenciais como a água, o lixo e o saneamento.

E também os «tachos» estão seguramente equacionados nesta estratégia, se considerarmos que os futuros administradores da empresa a criar irão auferir salários na ordem dos mil contos ou mais, a que juntarão cartões de crédito, viaturas de luxo e outras mordomias que com a continuação dos SMAS não teriam.

A luta é o caminho

Tal como em outros concelhos vizinhos, a luta dos trabalhadores tem sido possível travar processos semelhantes.

Também agora a nossa luta é fundamental para travar qualquer tipo de privatização e exigir serviços públicos de qualidade nos concelhos de Loures e de Odivelas.

As comissões sindicais apelam a todos os trabalhadores do município, independentemente de fazerem parte dos SMAS ou da Câmara, para a necessidade de nos unirmos na luta que vai ser travada contra este processo.

Esta é uma luta de todos nós. O processo privatizador está agora a ser iniciado nos SMAS, mas amanhã continuará seguramente noutros sectores da Câmara.

Os trabalhadores vão dizer não a este processo e contarão, como não podia deixar de ser, com o apoio de todos os trabalhadores da autarquia, assim como dos concelhos vizinhos, caso venha a ser necessário.

Contra a privatização dos SMAS
Pelos direitos
Pelo emprego
Pelos Serviços Públicos
ESTAMOS EM LUTA

Loures, 16 de Julho de 2004
A Coordenadora das Comissões Sindicais