Segundo dia acentua sentimento de revolta
09-Nov-2006

UMA GREVE QUE NÃO SE PODE CALAR

A segunda noite da Greve Geral da Administração Pública confirma e acentua o sentimento de revolta dos trabalhadores da Administração Local contra a política do Governo. A recolha de lixo está novamente paralisada em todo o País, registando-se consideráveis aumentos na adesão dos trabalhadores.

 

As principais cidades do País estão pela segunda noite consecutiva sem recolha de lixo e a greve regista consideráveis aumentos nos níveis de adesão ontem verificados.

A Administração Local registou durante o dia de hoje uma adesão global de 80 por cento, com inúmeros serviços e sectores encerrados em Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia, serviços municipalizados, bombeiros, escolas primárias, creches e infantários, empresas municipais e concessionárias.

Tentativas de intimidação e violações do direito à greve ocorreram um pouco por todo o país, sobretudo em autarquias de maioria do partido do Governo e de outras intervenções, nomeadamente da GNR, que no Distrito de Évora inquiriu piquetes de greve sobre os dados de adesão, e da utilização de trabalhadores desempregados vulgarmente conhecidos por POC’s na substituição de trabalhadores activos, com a conivência de representantes do Instituto de Emprego e Formação profissional. O STAL está a proceder ao levantamento de todas as situações insólitas e ilegais, visando desencadear os respectivos procedimentos legais contra todos os envolvidos.

Os resultados desta greve confirmam que são justas as reivindicações e aspirações dos trabalhadores no direito ao emprego, a um salário justo, a carreiras profissionais incentivadoras do seu desempenho e a serem tratados com respeito e dignidade por parte do Governo, especialmente o 1º Ministro e o Ministro das Finanças, os quais devem pôr cobro às mentiras e ataques diariamente desenvolvidos contra os trabalhadores, bem como são justas e solidárias as aspirações ao funcionamento e à melhoria dos serviços públicos de qualidade para todos.

A segunda noite da Greve Geral da Administração Pública mantém genericamente os níveis de adesão anteriormente registados, com ligeiras subidas, especialmente em Sintra e Oeiras, que de 75 por cento passam para 80 por cento, Porto e outros, prevendo-se para o próximo dia o encerramento de mais serviços municipais e Juntas de Freguesia.

Lisboa, 10 de Novembro de 2006
A Direcção Nacional do STAL